segunda-feira, 24 de novembro de 2014

São Francisco, que cidade Bárbara!

Você acorda numa ressaca tremenda, atrasada para empacotar suas coisas e ir pro aeroporto...dá um jeito de enfiar todas as suas compras (e dos amigos) na mala, sai correndo do hotel e entra no shuttle. Enjoada, morta de fome, exausta, de óculos e carregada de bolsas.

Ai entra na van a Mrs. Barbara e o Mr. Steve, eu a ofereço minha mão para que ela entre na van e ela feliz me agradece e senta do meu lado. Ela tem 92 e ele 95 anos.

Começamos a conversar e ela me conta sobre a viagem deles a São Francisco para conhecer os bisnetos, sobre o excelente "asilo" que eles moram (na verdade é o que eles chamam nos USA de retirement home, eles tem um apartamento só deles, tem que comer um mínimo de refeições no restaurante interno todo mês e tem assistência médica no local), me conta como ela prefere cozinhar a comer no restaurante interno, sobre os 72 anos de casamento, sobre os tempos da segunda guerra, como ela casou as pressas antes dele partir pra guerra logo depois de Pearl Harbor, como não tinha vestido e a loja fez um caber nela, como a Tiffany's entregou as alianças na estação de trem e como ele partiu no dia seguinte ao casamento, como ela queria engravidar rápido para ter uma lembrança dele caso ele morresse em batalha e o nervosismo que sentia esperando por cartas e noticias.

No seu  grupo da igreja eram 11 esposas de militares e 5 perderam os maridos durante a guerra e ela se sentiu abençoada por Steve ter voltado.

Então tudo isso numa manhã de ressaca e despedida de São Francisco te faz pensar:

1- O mundo está cheio de histórias e pessoas fantásticas
2- A vida já foi muito mais difícil
3- A minha história de vida está só começando a ser escrita
4- Viajar e ter a oportunidade de conhecer essas pessoas incríveis é uma das coisas que mais amo na vida
5- O Amor nos tempos da guerra era mais dificil, mas tornava as coisas mais sólidas e duráveis
6- A vida e pessoas são tão voláteis hoje em dia que amores assim vão ficar cada vez mais raros de serem encontrados
7- Nunca mais bebo uma Margarita de 1 dólar! 




Um comentário:

  1. Show! Sempre bom esses choques de realidade, pra gente cair na real.
    Beijos!

    ResponderExcluir